Arquivo de etiquetas: fertilidade feminina

fertilidade-feminina-ciclo-menstrual

Fertilidade feminina e o ciclo menstrual

Para analisar a fertilidade feminina, é de extrema importância compreender o ciclo menstrual. Por meio dele, é possível extrair diversas informações interessantes e que podem auxiliar nos tratamentos para gerar a vida. Com duração em torno de 28 dias, o ciclo menstrual se divide em três fases. E todas têm características próprias. Por isso, é muito importante que cada mulher conheça o seu ciclo, para entender melhor o próprio organismo, identificar quando há algo anormal e, sobretudo, saber quando sua menstruação vai chegar.

As três fases do ciclo menstrual são: folicular, ovulatória e lútea. Elas são responsáveis pelas alterações hormonais, mudanças de humor, cólica e também pelo aumento da libido. E, para facilitar a sua compreensão, segue abaixo um detalhamento de cada uma delas. Assim, fica mais fácil conhecê-las e identificá-las durante a passagem do mês. Gostou da ideia? Então confira!

FASE 1: FOLICULAR 

A fase folicular é a primeira do ciclo menstrual e ocorre do 1° dia até aproximadamente o 12° dia do mês, sendo o período que se inicia com o primeiro dia do fluxo menstrual. Normalmente, a menstruação tem a duração de 3 a 7 dias. Contudo, a fase folicular dura até aproximadamente 12 dias, que é quando o corpo se prepara para a maturação do óvulo que será liberado pelo ovário na fase seguinte. Uma curiosidade a ser lembrada é: o folículo é a estrutura que contém células do ovário e um óvulo no interior. A cada ciclo, normalmente apenas um folículo se torna o dominante, crescendo até cerca de 2,5 cm, antes de ovular. Nesta fase, o endométrio cresce em resposta ao estradiol produzido pelo folículo e, assim, a menstruação tem o seu fim em poucos dias.

FASE 2: OVULATÓRIA 

Uma das fases mais desejadas pelas mulheres que desejam engravidar, a fase ovulatória. Ela é responsável pelo período da expulsão do óvulo e que é logo coletado pela tuba uterina, onde espera para ser fertilizado. Neste momento, se houver o encontro com o espermatozoide, forma-se o embrião que pode gerar um bebê saudável. Vale lembrar que o óvulo é fecundado dentro da tuba uterina e o embrião formado demora cerca de 5 dias para conseguir chegar até ao interior do útero para se implantar. Caso não ocorra a fecundação, o óvulo é degenerado e eliminado. 

Não se pode esquecer de que, o famoso período fértil não se inicia na fase ovulatória. Ele ocorre de 5 a 6 dias antes e durante a ovulação, portanto, começa na fase folicular tardia, quando o folículo dominante está grande. Assim, o casal que está tentando engravidar não precisa esperar apenas o dia da ovulação para ter relações sexuais. Entretanto, se estiverem realizando o tratamento com orientação de coito, as relações deverão ocorrer nos dias programados, assim aumentando a chance de uma gravidez.

FASE 3: LÚTEA

A fase lútea, também chamada de secretória, inicia-se após a ovulação, quando o folículo dominante se transforma em corpo lúteo e que produz o hormônio predominante dessa fase, a progesterona. Quando o óvulo não é fecundado ou quando o embrião não se implanta no endométrio, o corpo lúteo perde sua função e a menstruação ocorre, pois a falta de progesterona causa a instabilidade do endométrio, fechando o ciclo menstrual. Essa fase tem a duração média de 14 dias após a ovulação e começa a apresentar os sintomas da TPM como, por exemplo, o cansaço, inchaço, irritabilidade, dores, entre outros.

O ciclo menstrual está relacionado diretamente com o período de maior fertilidade da mulher que busca uma gravidez. Se seu sonho é gerar a vida, o indicado é rastrear o ciclo menstrual e analisar as datas em que a fertilização pode ocorrer. Se após um ano de tentativas a gestação não acontecer, o melhor caminho é buscar ajuda com um especialista em Reprodução Humana.

 

mulheres-ferteis

Idade fértil: as chances de engravidar em cada faixa etária

A idade é um dos fatores mais importantes quando falamos sobre a fertilidade feminina. É fundamental que as mulheres entendam sobre esse assunto e, assim, planejem a melhor hora de ter filhos. Não existe uma idade ideal para engravidar, no entanto, o passar dos anos pode dificultar a concepção natural e aumentar os riscos de complicações.

Antes de falar sobre a fertilidade em cada faixa etária, é importante entender sobre as características do sistema reprodutor feminino. A mulher já nasce com uma reserva ovariana – entre um e dois milhões de óvulos. Na primeira menstruação, chamada de menarca, esse número é de cerca de 400 mil. Nesse momento se inicia a vida fértil.

Com o passar dos anos, a quantidade e a qualidades desses óvulos vai diminuindo, até a chegada da menopausa, que significa o fim da vida fértil, o esgotamento da reserva. Isso geralmente acontece entre os 48 e os 51 anos de idade. Nesse cenário, é possível entender as chances de gravidez em diferentes faixas etárias. Confira:

Tentante aos 20:

É o auge da idade fértil. Há maior número de óvulos e eles estão em ótimas condições. Com isso, as chances de gravidez nessa fase da vida são bem altas.

Tentante aos 30:

Aos 32 anos a fertilidade da mulher começa a declinar e esse processo se acelera a partir dos 35.  Nessa fase o número de óvulos caí consideravelmente e aumentam as chances de algumas complicações.

Tentante aos 40:

Depois dos 40 anos, as chances de uma gravidez natural são estimadas em menos de 10%. Além da quantidade de óvulos disponíveis ser bem inferior, a qualidade deles também diminui, o que aumenta as chances de o bebê desenvolver alguma doença congênita.

É muito importante destacar que outros fatores também influenciam nas chances de uma mulher engravidar. Alimentação saudável, peso adequado e prática regular de atividade física, por exemplo, favorecem a fertilidade mesmo com o avançar dos anos. Por isso, ter 30 ou 40 anos não significa, necessariamente, não estar hábil para uma gravidez saudável e feliz.

A idade não precisa ser um fator limitante para a maternidade. Se a mulher deseja adiar o momento de ter filhos, uma boa opção é o congelamento dos óvulos. Assim os gametas continuarão saudáveis e prontos para fecundação quando a paciente desejar.