Tag Archives: aborto

Cuidados com a gestação após a fertilização in vitro (FIV)

Muitos casais conseguem realizar o sonho de gerar a vida por meio de uma fertilização in vitro (FIV), tratamento de ala complexidade em reprodução humana assistida. E quando o tão esperado “positivo” chega, a futura mãe vive um misto de emoções e expectativas.

Dentre esses sentimentos, está o medo. Mas afinal, uma gestação de FIV exige mais cuidados que uma concepção natural?

De modo geral, uma gravidez de FIV é igual a uma gravidez natural e exige os mesmos cuidados, sem nenhuma atenção específica. No entanto, é preciso avaliar caso por caso. Quando a mãe já tem mais de 38 anos ou é uma gravidez múltipla, por exemplo, pode ser necessário algum cuidado especial.

Mas isso não significa que a família deve viver esse momento cercada de medo. Pelo contrário, é hora de celebrar e aproveitar cada minuto dos nove meses de espera.

Cuidados durante a gestação

Se você está grávida, vale a pena conferir alguma das dicas a seguir e, assim, experienciar uma gestação mais tranquila e segura.

Repouso:  Não existe indicação de repouso após a Transferência Embrionária.  Durante a gravidez, é normal que a paciente se sinta mais cansada em alguns períodos, o que pode aumentar a necessidade de repouso. Dependendo do estado físico e da saúde da mãe e do bebê, o repouso pode ser necessário durante vários períodos da gestação.

Alimentação: todas as gestantes precisam cuidar bem da alimentação, mantendo uma dieta saudável e equilibrada, com muitas verduras, legumes, frutas e grãos. O acompanhamento com  nutricionista também é bem-vindo.

Atividade física: a gravidez não impede que a mulher continue realizando atividades físicas, desde que orientada pelo médico obstetra e por um profissional da área. Além dos exercícios, yoga e sessões de fisioterapia são muito úteis para preparar o corpo para o parto.

Relações sexuais: essa é uma dúvida comum dos casais. Ao contrário do que algumas pessoas pensam, as relações sexuais podem acontecer durante a gravidez. No início da gravidez pós FIV e em casos específicos sob determinação médica, o sexo deve ser evitado.

FIV e o risco de abortos

O aborto é um dos maiores medos das famílias que esperam um bebê. No entanto, gestações de FIV e gestações naturais possuem taxa de aborto semelhante. Por isso, não é necessário nenhum cuidado específico além dos orientados pela equipe médica.

Independente do procedimento usado anterior a gestação, seja por concepção natural ou com auxílio médico, a gravidez é um momento para ser apreciado. Procure formas de se sentir bem emocionalmente e não deixe de seguir os cuidados recomendados pelo médico.

Como lidar com abortos?

Quando uma mulher deseja engravidar, o sonho de ser mãe vem acompanhado de uma carga imensa tanto de expectativas quanto de novidades. O desejo de saber o sexo do bebê, a escolha do nome e a decoração do quarto fazem parte do início da gestação.

Apesar de muito abstrata no começo, conforme a barriga vai crescendo a ideia de que há um bebê ali dentro fica mais concreta e a ansiedade para conhecer o serzinho só aumenta. No entanto, quando a gravidez é interrompida de forma inesperada, ou seja, quando ocorre o aborto espontâneo, a dor é incalculável.

A questão é que, como tudo na gestação, ninguém vai sentir essa perda do mesmo modo que a mãe, mas o apoio do parceiro, familiares e amigos deve se fazer presente. Afinal, como todas as perdas, há uma extrema importância do luto para quem sofre um aborto espontâneo.

Durante a gestação, a mulher nutre muitos desejos e, quanto maior o tempo de gravidez, mais forte é o vínculo com aquele bebê que está se desenvolvendo dentro dela. Os sonhos vão desde as características físicas até a personalidade que a criança vai ter e, quando o processo é interrompido de forma involuntária, ocorre uma quebra de expectativas. Neste momento, é importante que o tempo de luto aconteça e que ele seja respeitado, sem ser considerado um “exagero” ou drama.

Outro ponto que precisa ser falado é sobre as mulheres que acabaram de sofrer um aborto, e já estão tentando engravidar novamente depois de pouquíssimo tempo. É uma ocorrência muito comum, mas isso é preocupante. Uma gestação não substitui a outra. De toda forma, primeiro é preciso lidar com a perda e desconstruir as expectativas em relação ao bebê perdido para que, assim, uma nova gravidez possa acontecer de forma saudável.

Se você é uma mulher que sofreu aborto espontâneo, não se culpe! Você não fez nada de errado. Conte com o apoio de quem te ama para superar esse momento doloroso. Se, depois da dor e da vivência do luto, o desejo de ser mãe se manifeste novamente, vele a pena tentar de novo. A hora certa muitas vezes não é a nossa, mas a vitória pode estar mais próxima do que imagina!