Blog Life Search
FIV PARA CASAIS HOMOAFETIVOS: COMO FUNCIONA?

FIV PARA CASAIS HOMOAFETIVOS: COMO FUNCIONA?

A fertilização in vitro (FIV) representa um marco na medicina de reprodução assistida. Além de viabilizar uma gravidez para milhares de casais com diagnóstico de infertilidade, a FIV também possibilitou que casais homoafetivos, tanto de mulheres, quanto de homens, pudessem realizar o sonho de ter filhos biológicos. Mas como funciona o tratamento ?Continue lendo esse texto para entender. Na FIV, o óvulo é fertilizado pelo espermatozoide em laboratório, in vitro. Somente após divisão celular o embrião é transferido para o útero. Algumas etapas mudam a depender da configuração do casal, veja: Casais homoafetivos femininos Os casais homoafetivos femininos que desejam ter filhos precisam recorrer à doação de espermatozoides, obtidos em um banco de gametas. De acordo com a resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM), o sêmen utilizado deve ser de um doador anônimo. O casal receptor poderá ter acesso apenas as características dos doadores. Com a FIV, é possível Continue Lendo →

IDADE FÉRTIL: AS CHANCES DE ENGRAVIDAR EM CADA FAIXA ETÁRIA

IDADE FÉRTIL: AS CHANCES DE ENGRAVIDAR EM CADA FAIXA ETÁRIA

A idade é um dos fatores mais importantes quando falamos sobre a fertilidade feminina. É fundamental que as mulheres entendam sobre esse assunto e, assim, planejem a melhor hora de ter filhos. Não existe uma idade ideal para engravidar, no entanto, o passar dos anos pode dificultar a concepção natural e aumentar os riscos de complicações. Antes de falar sobre a fertilidade em cada faixa etária, é importante entender sobre as características do sistema reprodutor feminino. A mulher já nasce com uma reserva ovariana - entre um e dois milhões de óvulos. Na primeira menstruação, chamada de menarca, esse número é de cerca de 400 mil. Nesse momento se inicia a vida fértil. Com o passar dos anos, a quantidade e a qualidades desses óvulos vai diminuindo, até a chegada da menopausa, que significa o fim da vida fértil, o esgotamento da reserva. Isso geralmente acontece entre os 48 e Continue Lendo →

PGS/PGD e FIV: conheça o exame que detecta doenças genéticas

PGS/PGD e FIV: conheça o exame que detecta doenças genéticas

A fertilização in vitro (FIV) é uma das técnicas de reprodução humana assistida mais modernas do mundo. Nela, os óvulos e espermatozoides extraídos são selecionados e, depois, fecundados em laboratório. Antes dos novos embriões serem transferidos ao útero da futura mamãe, muitos casais têm optado por um tratamento chamado antigamente de screening/diagnóstico genético pré-implantacional (PGS/PGD), mas atualmente chamado de teste genético pré-implantacional (PGT). Trata-se de um exame que detecta doenças genéticas e cromossômicas antes dos embriões serem implantados no útero. Desta forma, é possível verificar quais deles possuem alguma alteração genética e, desta forma, selecionar apenas os que não apresentam nenhum dos problemas avaliados. As doenças genéticas, também chamadas de hereditárias, são aquelas transmitidas dos pais para os filhos, por meio de genes que sofreram mutações e são responsáveis por determinadas doenças. O teste genético pré implantacional para doenças monogênicas, o PGT-M (antigo PGD) permite a detecção de anomalias genéticas Continue Lendo →

Entenda a diferença entre inseminação artificial e FIV

Entenda a diferença entre inseminação artificial e FIV

Muitas pessoas acreditam que inseminação artificial e a fertilização in vitro (FIV) são procedimentos iguais. Mas não é assim. Apesar de possuírem a mesma finalidade: gerar uma nova vida, as técnicas e algumas etapas são diferentes. Mas afinal, como funciona cada uma delas? A principal diferença está na forma como os óvulos serão fecundados. Entenda: Na inseminação artificial, chamada também de inseminação intrauterina, os espermatozoides do parceiro são coletados, selecionados em laboratório e depois implantados diretamente no útero da mulher. Os próprios espermatozoides terão que chegar até as tubas uterinas e encontrar os óvulos. Portanto, a fecundação ocorre naturalmente. Essa técnica é recomendada para casais que apresentam problemas de baixa complexidade, como alterações no sêmen (espermatozoides lentos e pouco móveis). Além disso, é indicada para os casais homoafetivos do sexo feminino que desejam ter filhos. Nesses casos é utilizado sêmen de um doador anônimo. Na fertilização in vitro (FIV) o Continue Lendo →

Útero invertido: é possível ter filhos?

Útero invertido: é possível ter filhos?

Na maioria das mulheres, o útero é voltado para frente, inclinado sobre a bexiga, chamado de útero antevertido. Entretanto, há casos em que o útero é voltado para a direção oposta, ou seja, para trás. Essa condição, chamada de útero retrovertido, não é considerada um problema ou má-formação. Significa apenas que o útero está mais próximo do intestino do que da bexiga. Em grande parte dos casos, a mulher descobre a posição inversa do seu útero ao fazer uma ultrassonografia de rotina, e não porque apresentou algum sintoma. Mas é possível ter filhos com o útero retrovertido? Sim. O fato de o útero estar voltado para trás não significa necessariamente um problema para engravidar. Isso porque o colo do útero continua no mesmo lugar, o que garante a passagem dos espermatozoides até as tubas uterinas. É normal que o útero se mova e altere de tamanho. Durante a gestação, por Continue Lendo →

É possível engravidar após a menopausa?

É possível engravidar após a menopausa?

As mulheres têm optado por ter filhos cada vez mais tarde, seja por razões financeiras ou profissionais, por exemplo. Mas sabemos que a fertilidade feminina não dura para sempre, com a menopausa marcando o fim dos ciclos férteis. Vale esclarecer que a mulher já nasce com uma reserva ovariana (entre um e dois milhões de óvulos). Quando ocorre a primeira menstruação, esse número é de cerca de 400 mil. Com o passar dos anos, a quantidade e qualidade desses óvulos vai diminuindo, até a chegada da menopausa, quando a mulher de fato para de liberar óvulos, ou seja, quando acaba a sua reserva. Isso acontece, geralmente, entre os 48 e os 51 anos. Diante desse cenário, uma dúvida é muito comum: é possível engravidar após a menopausa? Sim! Desde que não haja problemas de saúde que contraindiquem a gravidez, pode-se recorrer à fertilização in vitro (FIV) com óvulos doados. Nesse Continue Lendo →

Quais são os mitos e verdades sobre a gravidez?

Quais são os mitos e verdades sobre a gravidez?

Para quem é tentante ou não, a gravidez “de primeira viagem” é um sonho. São muitas descobertas ao longo dos meses. Muitos conselhos da mãe, tia, avó e até superstições. Há quem acredite que o formato da barriga revela o sexo do bebê e por aí vai... Você está nesta fase? Então o assunto de hoje foi feito para você! No post de hoje pensamos em desmistificar dois mitos e exemplificar verdades sobre a gravidez. Afinal, algumas “cismas” podem ser confirmadas ou não. Quer ver? Então comecemos: 1- Grávida deve evitar adoçante - MITO: Pesquisas têm mostrado que, quantidades exageradas, o ciclamato de sódio, adoçante feito a partir de um derivado de petróleo, poderia causar danos ao feto. Mas, para isso, a gestante deveria ingerir o equivalente a dez latinhas de refrigerante diet por dia. No entanto, se você preferir, poderá utilizar outras possibilidades de adoçante, que vão de aspartame a Continue Lendo →

Pacientes recuperadas do câncer de mama podem engravidar?

Pacientes recuperadas do câncer de mama podem engravidar?

O sonho de ser mãe é idealizado por muitas mulheres, principalmente durante a fase reprodutiva. No entanto, alguns percalços no caminho podem adiá-lo ou até mesmo interrompê-lo e o diagnóstico de câncer de mama pode ser um deles. O tratamento oncológico exige alguns “sacrifícios” para que se alcance a cura. Além disso, os fatores como radiação e medicamentos podem abalar a fertilidade feminina. Mas nem tudo está perdido. O tratamento de câncer de mama não leva, necessariamente, à infertilidade após a finalização. São inúmeros casos em que as mulheres recuperadas realizaram o sonho de gerar a vida. Isso se deve também ao acompanhamento médico de qualidade e algumas medidas de preservação da fertilidade. Vamos entender melhor? Quando falamos sobre câncer e maternidade, geralmente o cenário é composto por uma a mulher jovem, que está em idade reprodutiva, cheia de anseios e expectativas em sua vida profissional, pessoal, matrimonial, sexual e Continue Lendo →

Como lidar com abortos?

Como lidar com abortos?

Quando uma mulher deseja engravidar, o sonho de ser mãe vem acompanhado de uma carga imensa tanto de expectativas quanto de novidades. O desejo de saber o sexo do bebê, a escolha do nome e a decoração do quarto fazem parte do início da gestação. Apesar de muito abstrata no começo, conforme a barriga vai crescendo a ideia de que há um bebê ali dentro fica mais concreta e a ansiedade para conhecer o serzinho só aumenta. No entanto, quando a gravidez é interrompida de forma inesperada, ou seja, quando ocorre o aborto espontâneo, a dor é incalculável. A questão é que, como tudo na gestação, ninguém vai sentir essa perda do mesmo modo que a mãe, mas o apoio do parceiro, familiares e amigos deve se fazer presente. Afinal, como todas as perdas, há uma extrema importância do luto para quem sofre um aborto espontâneo. Durante a gestação, a Continue Lendo →

Saiba mais sobre preservação da fertilidade

Saiba mais sobre preservação da fertilidade

Homens e mulheres veem, hoje, a necessidade de adiar o sonho de ter filhos. Para auxiliar neste comportamento, as técnicas de preservação da fertilidade oferecem a oportunidade de ambos os sexos terem seus materiais genéticos preservados, seja por razões pessoais, ou por conta de diagnóstico de alguma doença que possa afetar a fertilidade, como o câncer. Muitas mulheres estão optando por congelar seus óvulos para poderem ter a chance de realizar o sonho da maternidade no futuro. A vitrificação ou congelamento de óvulos, permite que os óvulos maduros conseguidos após a estimulação ovariana sejam criopreservados para utilização posterior. Este também é o caso de homens que vão passar por quimioterapia e que desejam congelar o sêmen. Para os pacientes oncológicos que vão receber quimioterapia ou radioterapia, ter o material genético preservado é uma boa opção. Afinal, quando o desejo de se tornar pai vier, as chances de um resultado de Continue Lendo →

Categorias
Direitos reservados Life Search 2019.